Comunidades - Perifíton


Crescimento

A taxa de crescimento do perifíton é difícil de ser determinada, sendo indiretamente medida, através da biomassa das algas ou da atividade fotossintética. A mudança na biomassa algal num determinado intervalo de tempo é igual ao crescimento mais a colonização, menos as perdas devido a pastagem ou a desaderência mecânica. O padrão verificado na taxa de crescimento do perifíton em substrato artificial segue uma curva sigmóide. A parte inferior da curva representa a colonização inicial do substrato e a parte superior o crescimento e uma comunidade madura. Podem ser descritas 3 fases durante o processo de colonização do perifíton: a fase inicial (caracterizada por um rápido crescimento - exponencial ou linear, refletindo num aumento de biomassa), a estacionária (o biofilme atinge um nível constante) e a secundária (declínio da biomassa) (Sand-Jansen, 1983). Durante o processo de colonização das algas perifíticas ocorrem inúmeros processos ambientais e o número de algas aumenta com a imigração e reprodução e diminui com a emigração, mortalidade e herbivoria. O aumento no nível de nutrientes pode acelerar o processo sucessional, ocasionando uma rápida e nova colonização de espécies, mudando a fisionomia da comunidade.

Nymphaea sp, Jardim Botânico, SP.