Artigos

pantanalO pantanal


Uma imensa planície de inundação, contida entre sistemas de serras e chapadas não muito elevadas e cortada por inúmeros rios da Bacia do Paraguai.

 

As chuvas periódicas provocam o transbordamento dos rios e lagoas e são respon­sáveis pela modificação constante da paisagem. Durante a cheia, o Pantanal se torna um enorme alagado, pontilhado de capões de mato, que crescem em pequenas elevações e servem de refúgio a muitos animais. Na época da seca, a água se restringe aos leitos dos rios, corixos, lagoas e banhados localizados nas depres­sões ligeiramente mais acentuadas da planície.

 

As condições especiais da região permitem que uma vegetação rica e variada, per­feitamente adaptada ao clima e solo, proporcione ambiente favorável a uma fauna exuberante. Lado a lado, na planície, vêem-se campos limpos, campos cerrados, capões de mato, matas ciliares, e, nas eleva­ções pedregosas e encostas de serra, vegetação de caatinga. Em todas essas formações podem ser vistos inú­meros animais, vivendo isolados ou em bandos, numa das mais expressivas concentrações de fauna do planeta.

 

As populações animais e vegetais se alternam, acompanhando os ciclos das cheias e das secas. A abundância de alimento permite transferências complexas de matéria orgânica e energia nas cadeias e teias alimentares.

 

No Pantanal não há monotonia. A característica constante é a movimentação dos animais, seus cantos, gritos e zumbidos. A riqueza do verde, o colorido das aves, das flores e do céu, evi­denciam a beleza e o equilíbrio dessa região incomparável. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Créditos

Departamento de Ecologia 

Luís Carlos de Souza